Notícias

Caio Gomes Silveira Do G1 Itapetininga e Região 24/11/2016 11:44 g1.globo.com

Menor casal do mundo pelo Guinness Book mostra a casa e rotina ao G1

Escadas espalhadas pela casa, varal com menos de um metro de altura, pia que fica a poucos centímetros do chão, carro adaptado e roupas de criança. Essas são algumas das situações que fazem parte da rotina do casal Paulo Gabriel da Silva Barros, apelidado de Paulinho Gigante, e Katyucia Lie Hoshino Barros, que foi reconhecido este mês como o menor casal do mundo pelo Guinness Book, o livro dos recordes. Paulinho tem 31 anos e 90 centímetros, enquanto Katyucia tem 27 anos e 91 centímetros. Juntos, os portadores de nanismo têm 1,81 metro. O G1passou um dia com eles e conheceu a rotina do casal, que mora em Itapeva (SP).

Paulo é funcionário público e trabalha como secretário em uma escola das 8h até as 18h. Já Katyucia é esteticista e empresária, com seu Centro de Estética dividido com um salão de cabelereiro na própria casa. O casal mora em um quarto aos fundos da empresa.

“Só não vamos mostrar o quarto, porque está muito bagunçado (risos). Mas seria mentira dizer que não temos limitações. Porém, elas são só relacionadas à altura. Nunca sofremos bullying quando crianças. Temos uma vida normal. Cozinhamos, lavamos louça, lavamos roupa, trabalhamos, fazemos compras, tudo o que um casal normal faz. A única diferença é que temos algumas coisas adaptadas para nós”, revela o casal.

Menor casal do mundo confirma limitações, mas enfrenta todas elas (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)

Menor casal do mundo relata limitações, mas enfrenta todas elas (Foto: Caio Gomes Silveira/G1)

A residência dos dois fica na área central e é toda adaptada para o tamanho deles, a começar pelas maçanetas do portão da frente, das portas no interior e o varal na garagem, que também fica bem abaixo do habitual.

Maçanetas das portas ficam na altura certa para o casal (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)
Maçanetas das portas ficam na altura certa
para o casal (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)

Na cozinha há mais adaptações, como uma escada que é usada pelos dois para lavarem a louça e abrirem a geladeira, já que a pia e a geladeira são de alturas normais. A mesa onde os dois fazem as refeições é infantil com desenhos no encosto e não há armários. Tudo é guardado em uma pequena mesa no canto. Além disso, não há fogão devido ao Centro de Estética da Katyucia ser na casa.

"Tenho que cozinhar tudo com panelas elétricas. Eu faço a comida enquanto o Paulinho lava, porque ele até sabe cozinhar, mas não há quem coma”, brinca a esposa.

Casal tem algumas coisas adaptadas, outras eles 'se adaptam' (Foto: Reprodução/ TV TEM)
Casal tem alguns objetos adaptados, outros eles
'se adaptam' (Foto: Caio Gomes Silveira/G1)

O local de trabalho da esteticista também é adaptado. A maca das clientes está na altura dela para que ela trabalhe em pé. Na sala há uma pia ao lado que fica a centímetros do chão e, para subir na mesa de anotações, Katyucia usa uma pequena escada. “Sou formada em direito, mas encontrei na área de estética a minha profissão”, conta ela, que trabalha com massagem, drenagem, estética facial e corporal.

Quando precisam sair, Paulinho Gigante é o único motorista e o carro usado por ele é adaptado. Ele usa dois bancos adicionais, o último de criança, para alcançar os pedais que chegam quase até o volante. O veículo é automático, mas o câmbio é alcançável junto com o freio de mão. “Ela acha que eu tenho o pé pesado, mas dirijo bem”, comenta Paulinho.

Em supermercado eles têm um carrinho especial para compras (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)
Em supermercado eles têm um carrinho especial
para compras (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)

Já em relação às roupas, o casal afirma que, se os dois precisam de roupas novas, têm que procurar modelos infantis com “cara” de adulto. Já se vão fazer compras, os dois têm um supermercado preferido, onde há no estabelecimento um carrinho separado e especial para eles. “Se precisamos de alguma coisa nas gôndolas de cima é só pedir para alguém que esteja passando”, dizem.

No supermercado, assim como outros locais públicos, a reação de muitos é olhar para o casal. “Não ligamos quando ficam olhando, afinal, o mundo não têm que se adaptar a nós, mas sim nós nos adaptarmos ao mundo. Só que algumas pessoas acabam sendo ‘sem noção’”, afirma Katyucia.

Quando estão em público é normal que as pessoas olhem, dizem (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)
Quando estão em público é normal que as pessoas olhem, diz casal (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)

Amor através das redes sociais
Paulinho e Katyucia se conheceram pela já extinta rede social Orkut, em 2006. “Ele me adicionou, conversamos pelo ‘MSN’ e ele ficava dando em cima de mim, enchendo o ‘saco’, até que bloquei ele”, diz a esposa. Paulinho se defende dizendo que era uma "estratégia do amor". “Eu estava tentando te conquistar”, brinca.

Eles se casaram em setembro deste ano (Foto: Divulgação/ Pippo Ferreira Casamentos)
Eles se casaram em setembro deste ano
(Foto: Divulgação/ Pippo Ferreira Casamentos)

Na época ela morava em Londrina (PR) e Paulinho já morava em Itapeva

“Houve uma série de exigências, com documentos e laudos médicos para atestarem nossa altura. Sabemos que antes de nós era um casal três centímetros mais alto que a gente e que se separou há alguns anos. Então, o recorde estava vago. A gente procurou o Guinness e, em pouco tempo, foi tudo acertado para recebermos o certificado”, conta Katyucia.

Paulinho e Katyucia foram para Londres semana passada, onde conheceram a sede do Guinness World Records. “Lá em Londres mal podemos conhecer a cidade, ficávamos com eles das 6h às 20h. Foi uma semana nessa correria. Mas entrar no livro dos recordes é uma oportunidade para mostrarmos um pouco da nossa rotina, mostrar quem a gente é e também representar o Brasil e Itapeva no Guinness”, completa o casal.

Katyucia pode engravidar normalmente, segundo ela. Mas, por enquanto, o casal não pensa em ter filhos: “No futuro queremos sim. Hoje estamos treinando para ser ‘pais de cachorros’”, ressalta Paulinho.

Casal se conheceu pelo Orkut, há dez anos (Foto: Divulgação/ Pippo Ferreira Casamentos)
Casal se conheceu pelo Orkut há dez anos (Foto: Divulgação/ Pippo Ferreira Casamentos)
Paulinho e Katyucia estão junto há oito anos (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)
Paulinho e Katyucia estão juntos há oito anos (Foto: Caio Gomes Silveira/ G1)

. O bloqueio durou um ano e meio, até que ela resolveu voltar a falar com ele. “Era outro momento. Eu voltei a conversar porque ele estava terminando a faculdade de direito e eu começando”, conta ela.

"As coisas foram acontecendo até que meses fui conhecer Katyucia e a família pessoalmente em Londrina. A partir de então começamos a namorar. Fui muito bem recebido pela família dela e  minha sogra me adora. Sou como um filho para ela", complementa o marido.

Depois de oito anos de relacionamento, o casal, que já morava junto em Itapeva, resolveu casar-se em 17 de setembro deste ano. E após o casamento, surgiu a ideia de se inscreverem no Guinness como o menor casal do mundo. No dia 17 de novembro, dois mês após o casamento, os dois receberam o certificado do livro dos recordes.

 

 


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo