Notícias

28/04/2017 04:49

EM ALERTA : Exame confirma morte de macaco por febre amarela em MT

O Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso (Lacen-MT) confirmou, nesta quarta-feira (26), a morte de um macaco por febre amarela, no município de São José do Povo (267 Km ao Sul de Cuiabá). Há 40 dias, três primatas foram encontrados mortos na zona rural da cidade. Os exames confirmaram a doença em apenas um deles. O caso também foi confirmado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) ao Gazeta Digital

Segundo a pasta, o caso serve de alerta por indicar a circulação do vírus no estado. Isso faz com que seja intensificada a atuação da Vigilância Epidemiológica no trabalho de monitoramento, bloqueios e cobertura de vacinas. Segundo o coordenador de atenção básica de Saúde de Rondonópolis (212 Km ao Sul de Cuiabá), Marcelo Miranda, o Escritório Regional da SES já está providenciando 40 mil vacinas para os municípios de Rondonópolis e São José do Povo, que fazem fronteira entre si.

Um grupo de prevenção e combate à doença também foi montado pela Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis para atuar, principalmente, na zona rural, chamando a população para tomar a vacina. De acordo com a SES, todos os meses, Mato Grosso recebe em torno de 80 mil doses de vacina contra a febre amarela, já que o estado está na zona de floresta Amazônica, região em que se concentra o mosquito transmissor, o Aedes aegypti.

A vacinação em massa não será necessária, segundo a pasta, porque a doença é considerada erradicada, já que ainda não houve nenhuma notificação da febre amarela em humanos. Em outros estados, como Minas Gerais e Espírito Santo, a campanha de vacinação em massa tem sido feita por conta de já haver registros de casos confirmados. Lá, a vacinação de rotina não era praticada pelo poder público, como é feito em Mato Grosso.

Orientações

Segundo o coordenador de atenção básica em Saúde de Rondonópolis, Marcelo Miranda, a população deve estar atenta para o combate ao mosquito Aedes aegypti, pois, além da dengue, zyka e chicungunha, ele também é o transmissor da febre amarela. Por isso, deve-se evitar o acúmulo de água parada em casa e nos quintais.

O profissional também afirma que não é necessário matar os macacos porque eles não são transmissores da febre amarela, mas tão vítimas quanto os humanos. “Não precisa matar os bichos porque eles servem de alerta para saber aonde está o vírus, se não forem eles, serão os humanos”, disse.

Ainda mais importante, é que todos aqueles que ainda não tomaram a vacina contra a febre amarela, procurem o posto de saúde para se prevenir. Uma única dose é suficiente para resguardar a pessoa pela vida inteira. Também é necessário guardar a carteira de vacinação e mantê-la atualizada.

Celly Silva, repórter do GD


versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo